Programação de Oficinas

Oficina 1-Umas quantas perguntas sem resposta para contar contos- Joxe Maria Carrere (Pais Basco) 
Oficina 2-Do Coração às Palavras- César Villgeas -Wayqui (Perú)
Oficina 3- A música na narrativa oral- Gonçalo Cruz (Portugal) 

 Descrição

Oficina 1-
Umas quantas perguntas sem resposta para contar contos- Por Joxe Maria Carrere( Pais Basco)

Os contos tradicionais são vistos, normalmente, desde uma perspectiva histórica e antropológica sem considerar que existe muita relação com a sociedade atual. A tradição não é algo estático e sim, muito pelo contrário, é dinâmica, algo que vai adaptando-se aos tempos, transformando-se.
Contar contos tradicionais hoje em dia exige uma reflexão sobre o que trasmitem e contam estes mesmos contos, trazendo-os ao imaginário atual para que desta maneira não se rompa o caminho de trasmissão.

Oficina 2-
Do Coração às Palavras por César Villegas-Wayqui (Perú)

Todos somos narradores, a palabra e as histórias vivem em nós, são parte de nosso dia- a- dia. A arte de narrar é  uma arte de presente, de hoje! Não há uma forma a imitar para se aprender a narrar, o que temos que fazer é descobrir o narrador que levamos dentro de nós e as histórias que nos é urgente compartilhar.
Este será um espaço de descobrimento, de jogo e experimentação e em base a técnicas e exercícios poderá descubrir o narrador de contos que levas em ti.Esta oficina está dirigida a quem deseja explorar a sua capacidade de compartilhar uma história como um público grande ou pequeno ou como um presente para si mesmo.

Oficina 3-
importância da música na narrativa- Gonçalo Cruz (Portugal)

Ao longo de uma série de exercícios,  Gonçalo Cruz propõe-se trazer a música do fundo do cenário para a frente do palco,  tornando-a consciente para todos.

Onde está a música? O que nos está a fazer sentir? Que relação têm com a acção?
Alertado para a presença da música na narrativa, para a sua importância, mas principalmente para o facto de ser manipulável, profundamente racionalizável, e cheia de intencionalidade, o contador ganha mais uma ferramenta para chegar ao coração do público.

Sem comentários:

Enviar um comentário